O estresse é conhecido por ser uma reação natural do corpo quando estamos em situação de perigo e precisamos “bater ou correr”, mas dentro do ambiente de trabalho, ele é o resultado do desequilíbrio tanto da relação indivíduo-ambiente de trabalho quanto da relação demanda-recursos. A pequeno prazo, os principais sintomas tendem a ser pressão alta, coração acelerado, dores (cabeça, costas, estômago), tensão muscular, irritabilidade e agressividade, impaciência, desmotivação, cansaço constante, alterações do sono, problemas de memória, atenção e concentração. Quando esses sintomas persistem, surgem doenças como as doenças cardíacas, os problemas de coluna, gastrite, fadiga crônica, ansiedade, depressão e imunidade baixa.

O estresse advém de várias situações, entre elas estão problemas pessoais, os conflitos entre colegas, cobrança excessiva de superiores, incertezas, jornadas longas, sobrecarga de trabalho, desvio de função, e condições ambientais (como a periculosidade, insalubridade). Esse sintoma prejudica a saúde mental do trabalhador em diversos níveis, podendo ocasionar violência no trabalho, queda da produtividade, nervosismo constante, dificuldade para se concentrar, entre outros. O estresse como sintoma pode prejudicar o trabalhador no desempenho de suas atividades, e os prejuízos se infiltram em todos os setores da vida, o pessoal, o social e o profissional.

O psicólogo organizacional possui diversas funções, e dentre elas está a habilidade de trabalhar com a prevenção e o tratamento de distúrbios mentais dentro do ambiente de trabalho. O profissional irá fornecer ferramentas para que o colaborador lide com as situações impostas dentro do ambiente de trabalho, irá promover debates sobre o adoecimento do trabalhador, explicando e elucidando dados para colaboradores e gestores superiores. O psicólogo também irá realizar pesquisas sobre como estão as condições de trabalho dentro dos setores de sua empresa, após isso, irá computar os resultados para promover ações de melhoria para a empresa e acerca das condições de trabalho.

REFERÊNCIAS

BORSOI, Izabel Cristina Ferreira. Da relação entre trabalho e saúde à relação entre trabalho e saúde mental. Psicologia & Sociedade, Fortaleza, Ed. 1, 103-111, 2007.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Estresse. Biblioteca Virtual em Saúde. 10 set. 2015. Disponível em <http://bit.ly/3r2iPo4>.

PACHECO, V. A.; FERREIRA, M. C. Mal-estar e bem-estar no trabalho: representações de trabalhadores de empresa pública brasileira. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v.36, Ed. 3651, p. 1-11, ago. 2020.

Escrito por:

Ariane Cruber Moro

Estagiária em Psicologia Organizacional- Grupo Algo Mais